Equipamentos, uma preocupação constante para o bom atendimento

Os equipamentos adequados podem evitar erros que poderiam ser fatais durante o atendimento

Foto de MART PRODUCTION no Pexels

A competência do material humano no trabalho hospitalar é testada no dia a dia, em meio aos diversos atendimentos com as mais diversas gravidades. Apesar de toda a eficiência e conhecimento teórico e prático de médicos e enfermeiros, para ficar apenas nestes dois profissionais, não é possível que eles trabalhem sem equipamentos.

A existência de máquinas que se modernizam com a velocidade da luz é necessária para que essa competência de médicos e enfermeiros não se transforme em improviso.

Os equipamentos também podem evitar erros que poderiam ser fatais durante o atendimento. Vale recordar que improvisos e enganos são absolutamente condenáveis no ambiente de qualquer empresa. Em se tratando de um hospital, a situação ganha contorno maior ainda.

Importância dos equipamentos

Diante disso, a Santa Casa de Chavantes, assim como todas as unidades de saúde que administra por intermédio de sua Organização Social, está sempre atenta a todos estes detalhes.

“Para que equipamentos médicos funcionem da maneira correta, é importante que se tenham calibração e manutenção constantes. Apenas com estas duas preocupações, é possível evitar quebras e paradas abruptas dos equipamentos”, afirma Anis Mitri, cardiologista e presidente da Santa Casa de Chavantes.

Em quase todos os contratos e gestão e convênios com o Governo do Estado de São Paulo, a Santa Casa de Chavantes contrata empresas especializadas em Engenharia Clínica e Manutenção de Equipamentos Médicos.

“Estas empresas fazem um trabalho sério e preventivo nos maquinários cedidos pelo Poder Público, otimizando a vida útil deles, além de garantir o bom funcionamento dos mesmos”, completa.

Renovação

Além da manutenção constante dos equipamentos, a renovação frequente dos aparelhos também é necessária para que se acompanha as tendências mais modernas de tratamento.

“Em nosso hospital próprio, a Santa Casa de Chavantes constantemente busca recursos parlamentares com deputados para adquirir novos equipamentos e manter nosso parque tecnológico atualizado”, revela Anis Mitri.

Já nos convênios celebrados com os Governos, é responsabilidade do Poder Público a compra e aquisição de novos equipamentos médicos, cabendo à Santa Casa de Chavantes operar e zelar por estes maquinários.

Capacitação

A troca de maquinário também envolve outro aspecto: preparação dos profissionais que vão ser responsáveis pela operação. E isso não importa o setor, desde os que são integrados por profissionais mais simples até os departamentos compostos por mais graduados.

“Todo equipamento novo adquirido necessita de dois treinamentos. Um deles, chamado de “Preset”, é o treinamento e momento em que a fabricante, junto com o hospital, regula o equipamento e suas configurações dentro da necessidade que aquela unidade precisa”, explica.

O outro treinamento, acrescenta o (cargo do porta-voz), é chamado de “Application”, e dura de horas a semanas, onde o fabricante envia operadores, com objetivo de acompanhar, treinar e capacitar os colaboradores.

Tradição

O cuidado com os equipamentos hospitalares, assim como em relação aos treinamentos dos colaboradores, integra um processo importante e compõe apenas um dos aspectos da tradição da Santa Casa de Chavantes.

A instituição, que foi fundada em 1923 e possui uma expertise de 15 anos na gestão de equipamentos de saúde, mostra grande êxito nas iniciativas abraçadas, tanto na cidade de Chavantes e na região do Departamento Regional de Saúde de Marília quanto em outras cidades do Estado de São Paulo.

Os equipamentos são dotados de alta tecnologia para exames e diagnósticos cada vez mais precisos. Dentro desse processo, é vital a utilização de todo tipo de dispositivo que signifique agilidade como sistemas, aplicativos e outros gadgets.

O capital humano, no entanto, segue sendo um elemento fundamental para que toda essa complexa engrenagem funcione com perfeição. A propósito, muitos acreditam que para um hospital ou clínica caminhar bastam apenas os médicos e enfermagem. Esta é apenas uma parte – e de grande destaque, é verdade – dentro desse processo.

O fato é que o número de profissões, equipes e infraestrutura envolvidas é muito maior do que se pode imaginar. Dentro de uma unidade de saúde, existe a necessidade de contadores, advogados, faturistas, administradores e uma gama enorme de profissionais. Todos estão devidamente envolvidos. Não importa o cargo, mas sim a demonstração de todo o conhecimento no dia a dia.

Outros tipos de equipamentos também são essenciais para que a máquina rode perfeitamente. No caso, a humana e que, claro, influencia diretamente em todas as outras. A pandemia de Covid-19 intensificou ainda mais os cuidados com a saúde e a segurança do trabalho, já extremamente presentes no cotidiano de sempre.

Tanto que a cultura desses dois itens fez com que a Santa Casa de Chavantes aumentasse em mais de 15 vezes o investimento nesse setor, com direito a treinamentos frequentes de boas práticas, higiene e uso correto de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

Para conferir mais detalhes sobre os equipamentos e toda a estrutura, acesse o site da Santa Casa de Chavantes.

Comments are closed.